Calculo de Ferias, neste artigo vai aprender como calcular férias de maneira simples e fácil.

Nada mais justo depois de uma longa temporada de trabalho do que as merecidas férias de fim de ano. Seja para viajar, aproveitar com a família, ou apenas para descansar, as férias são sempre muito bem-vindas, em qualquer situação.

Por um lado, há aqueles que não trocam seus merecidos dias de descanso por nada nessa vida.

Já por outro lado, há quem opte por trocar uma parte das férias por pagamento em dinheiro. Tal prática é conhecida como Abono Pecuniário, ou venda das férias.

Veja também mais sobre:

calculo de ferias

Vamos ver aqui um passo a passo de como fazer o calculo de ferias

O abono pecuniário no cálculo de férias

Diferentemente do que muitos pensam, o abono pecuniário não consiste em abrir mão das férias em troca de uma compensação em dinheiro.

Na realidade, o abono pecuniário consiste na conversão de 1/3 das férias em um percentual dos rendimentos mensais do empregado.

Por exemplo, se você tem direito a 30 dias de férias e opta pelo abono pecuniário, então você passará a ter direito a 20 dias de férias e o restante será convertido em dinheiro.

Caso seja do desejo do trabalhador, o abono pecuniário deve ser solicitado com antecedência ao empregador e então ser depositado juntamente de suas férias e eventual antecipações do décimo terceiro. O abono pecuniário pode ou não fazer parte do calculo de ferias.

Quantos dias o trabalhador tem direito a férias

As férias são um dos direitos universais e invioláveis de todo o trabalhador. Aqui no Brasil, a conquista do direito a férias está relacionada à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), anunciada em 1 de maio de 1943, no Governo Getúlio Vargas.

Todo o trabalhador tem direito a 30 dias por ano de férias.

Veja a definição de férias, conforme o Wikipédia:

Férias designa o período de descanso a que têm direito empregados, servidores públicos, estudantes etc., depois de passado um ano ou um semestre de trabalho ou de atividades. Provém do latim ‘feria, -ae’, singular de ‘feriae, -arum’, que significava, entre os romanos, o dia em que não se trabalhava por prescrição religiosa. (Wikipédia)

Abono pecuniário 1/3 valor das férias

Para solicitar o Abono Pecuniário, o trabalhador deverá preencher, por escrito, uma requisição do mesmo e entregar a seu empregador no máximo até 15 dias antes do término do período aquisitivo.

O abono pecuniário é calculado sobre o valor das férias, incluindo o aditivo de férias no cálculo.

O cálculo do valor do abono pecuniário costuma deixar muita gente confusa, mas não é tão difícil quanto parece.

Imagine o seguinte cenário: Você irá tirar 30 dias de férias. Por lei, você receberá seu salário normal acrescido de 1/3 de seu próprio valor. Esse acréscimo é garantido por lei e ocorre sempre que se entra de férias.

Suponhamos que você recebe R$ 1.000,00. Nesse caso, você receberia cerca de 1.300 reais e 30 dias de férias.

Caso você solicite o abono pecuniário a conta mudaria um pouco. Você receberia outro aditivo de 1/3, mas desta vez calculado sobre as suas férias (que já receberam um aditivo de 1/3) e em troca perderia 10 dias de férias.

Nesse caso, você receberia cerca 430 reais somados aos 1300, já garantidos, de suas férias. Totalizando cerca de 1730 reais e 20 dias de férias.

Férias proporcionais

O conceito de férias proporcionais é uma forma de forçar o empregado que acumulou muitas faltas injustificadas ao longo do ano a compensar o empregador.

Por ano, o trabalhador tem direito a 30 dias de férias. Ou 15 dias a cada 6 meses.

Essa regra se aplica especialmente a quem teve menos de 5 faltas não justificadas no período de 12 meses consecutivos, ou proporcionalmente aplicada, a períodos mais curtos.

A partir de 6 faltas, até 14, o empregado perde 6 dias de férias e passa a ter direito a apenas 24 dias de recesso.

Entre 15 e 23 faltas não justificadas, o empregado passa a ter direito a apenas 18 dias de férias.

Entre 24 e 32, as férias passam a ser de apenas 12 dias corridos.

Acima disso, o empregado perde o direito às férias.

INSS cálculo de férias

Diferentemente do que muitos pensam, o desconto do INSS no rendimento das férias não se dá sobre o salário normal do empregado, mas sim sobre seu salário bruto no mês. Isto é, entre 8% e 11% a depender do salário de contribuição sobre o que ele recebeu das férias, já acrescido do aditivo de férias e eventual abono pecuniário.

Adiantamento do 13ª nas férias

Quem deseja receber o adiantamento do 13ª nas férias deve realizar uma solicitação por escrito a seu empregador durante o mês de janeiro. Isto é, independentemente de se você vai entrar de férias em agosto ou novembro, caso deseje receber o adiantamento de seu décimo terceiro, deve solicitar no início do ano a seu empregador.

Por sua vez, o empregador é obrigado a lhe adiantar o valor até 2 dias após o início de suas férias.

Calculo de Ferias

As férias destinam-se a todo o trabalhador que tenha passado 12 meses corridos trabalhando para uma mesma empresa.

Nesse caso, ele receberá além dos 30 dias de férias, seu salário normal acrescido de um aditivo de 1/3 de seu valor. Vamos aqui exemplificar como fazer o Calculo de Férias.

CLT Férias

Calcular Férias

No calculo de ferias é descontado o INSS e o Imposto de renda caso o salário do trabalhador esteja dentro da tabela de contribuição.
Exemplo 1: Vamos supor que João vai sair de férias, vamos ver abaixo o calculo de férias.

1. Salário bruto = R$ 2.000,00
2. 1/3 do salário bruto = R$ 666,67
3. Valor bruto das férias = Salário bruto + 1/3 = R$ 2.666,67

Agora vamos deduzir o INSS que nesta faixa de ganhos é de 11%
Desconto de INSS = R$ 2.666,67 * 11% = R$ 293,33
Conforme tabela do Imposto de Renda o valor de R$ 2.667,00 é tem como alíquota de IR 7,5%

Vamos agora calculo o valor o IR

Valor do salário de férias bruto – desconto de INSS = R$ 2.666,67 – R$ 293,33 = R$ 2.373,34
Dedução do IRPF = R$ 2.373,34 * 7,5% = R$ 178,00

Conforme a tabela do IRPF quem está na faixa de 7,5% tem a deduzir 140,12
R$ 178,00 – R$ 140,12 = R$ 37,88

O valor das férias de João após todos os descontos é de R$ 2.373,34 – R$ 37,88 = R$ 2.335,46

Exemplo 2: Vamos a um segundo exemplo onde o valor não é dedutível de IRPF:
Marcos vai sair de férias e tem salário bruto de R$ 900,00
Já sabemos que:

Valor das férias bruto é o salário bruto + 1/3
R$ 900,00 + R$ 300,00 = R$ 1.200,00
Dedução INSS = R$ 1.200,00 *8% = R$ 96,00
Dedução de IRPF está isento, pois o valor das férias menos o INSS está dentro da faixa de isenção que é de até R$ 1.868,22
Valor Férias Liquida = R$ 1.200,00 – 96 = R$ 1.104,00
Marcos irá receber de férias o valor de R$ 1.104,00, conforme o calculo de ferias.

Também é possível tirar as férias duas vezes no ano, por exemplo, duas férias de 15 dias. Nesse exemplo, as mesmas regras continuam valendo, mas de maneira proporcional.

Dedução de dependentes

Quem ganha acima de 1903 reais está sujeito ao IRRF, ou Imposto de Renda Retido na Fonte, valor descontado diretamente do salário do empregado.

O valor varia de acordo com a renda. Por exemplo, para quem ganha entre 1903 e 2826, a dedução é de R$ 142,80. Já para quem ganha acima de R$ 4664, a dedução é de 869,36.

Para consultar a tabela completa e saber mais sobre as deduções do Imposto de Renda, é só acessar esse link aqui no site da Receita Federal.

Portanto, este artigo deixa bem claro como é feito o calculo de ferias, quais os descontos que entram na forma de calcular férias.

Qualquer dúvida deixa um comentário que faremos o possível para tirar suas dúvidas.